O podcast

Como nasceu A Viagem do Maçarico?

Na era digital, a divulgação científica e a comunicação sobre a natureza desempenham um papel fundamental na disseminação de informação e na promoção de uma sociedade comprometida com a proteção ambiental. Através de diversas médias, como sites, podcasts e redes sociais, essas informações podem alcançar um público amplo e diversificado, contribuindo para a formação de uma sociedade mais crítica e consciente, e inspirando a futuras gerações.

Os podcasts são uma ferramenta poderosa nesse contexto. Permitem que os ouvintes mergulhem em discussões detalhadas sobre temas científicos, ouçam entrevistas com especialistas e acompanhem as jornadas de descobertas de investigadores em tempo real. A capacidade de transmitir informações de forma auditiva permite que os ouvintes absorvam o conteúdo em qualquer lugar, seja durante uma corrida matinal, no caminho para o trabalho ou em casa relaxando. Além disso, os podcasts oferecem uma plataforma inclusiva para cientistas, comunicadores e entusiastas partilharem as suas paixões e perspectivas sobre a ciência e outros tópicos relacionados. Ao convidar uma variedade de vozes e pontos de vista para a conversa, os podcasts enriquecem o diálogo científico e promovem uma compreensão mais ampla dos tópicos abordados.

Assim surge o projeto A Viagem do Maçarico, com o propósito de destacar os esforços da conservação da avifauna em Portugal, além de partilhar entrevistas com ornitólogos, investigadores, especialistas, observadores de aves e fotógrafos, para o público geral. O podcast teve início em fevereiro de 2021, com uma entrevista ao ornitólogo Carlos Pereira. A gravação foi feita directamente com um telemóvel na casa do Carlos (até da para ouvir as galinhas no fundo). Desde então, houve uma notável melhoria na qualidade de conteúdo e na edição, comparando os primeiros episódios com mais recentes. Já se passaram três anos desde o início do podcast, e o conhecimento acumulado, assim como o desejo de continuar a partilhar este conteúdo, foi crecendo.

Slender-billed Curlew Chris Gommersall
Slender-billed Curlew Chris Gommersall
Slender-billed Curlew eBird Hendrik Herlyn
Slender-billed Curlew eBird Hendrik Herlyn

© Chris Gommersall

Hendrik Herlyn

Vários foram os motivos que me levaram a criar este podcast. O primeiro foi o podcast espanhol La Radio del Somormujo, criado por José Luís Copete e José David Muñoz. Neste podcast dedicado às aves, abordam temas como a ciência, o turismo ornitológico e outras curiosidades relacionadas com as aves. Inspirada por eles, decidi criar um podcast dedicado à ornitologia para o público português. O segundo motivo foi a descoberta da história de uma ave, cuja população foi reduzida a um estado crítico de conservação e que provavelmente já se extinguiu: o maçarico-de-bico-fino (Numenius tenuirostris).

Na altura, a história desta limícola fascinou-me, e comecei a procurar informações, entrando em contato com diversos ornitólogos que tinham tido contato com esta ave, a mais rara do mundo ocidental e, ao mesmo tempo, o mais lindo dos maçaricos. Não se sabe ao certo o que levou a esta espécie ao seu estado crítico, mas as migrações certamente tiveram influência. Nidificava no oeste da Sibéria e, durante a migração, embarcava em uma perigosa jornada até a costa do Norte da África, passando pela costa do Mar Negro, os Bálcãs e as terras do Mediterrâneo, onde muitos eram caçados. Os indivíduos que sobreviviam chegavam à costa do Egito e do Magrebe famintos e exaustos, onde muitos eram capturados em redes para consumo ou venda nos mercados de aves exóticas.

Os últimos registos verificados são de 1995, em Marrocos, e de 1999, na Grécia e em Oman. Outros avistamentos, como um em 2001 na Hungria, foram questionados pela maioria das instituições e não foram oficialmente reconhecidos, apesar deste último registo ter sido aceite pelo Comitê Nacional/Instituto de Ornitologia da Hungria. Seja como for, a espécie está perto de ser considerada extinta, facto que iria supor a primeira extinção no Paleártico Ocidental duma ave, desde a torda-gigante (Pinguinus impennis) em 1852.

A história do maçarico-de-bico-fino, assim como a história de outras espécies em situações semelhantes, merecia ser contada, e a melhor maneira de o fazer foi através de um conteúdo gratuito e acessível para um público alargado: um podcast. Essa foi a ideia inicial, embora ao longo do tempo o conteúdo do podcast tenha evoluído de acordo com a disponibilidade, acabando as entrevistas por dominar grande parte do conteúdo.